Crime na Tabapuã? Mas não foi só mais um acidente?

Aqui neste blog todo mundo adora carro. Todo mundo adora a potência e o ronco dos motores, o design, as cores. Os detalhes de cada marca, de cada fabricante, de cada peça. Mas carros como os que aparecem aqui, muitas vezes, têm seus nomes colocados nas manchetes dos jornais associados a tragédias que me deixam muito pensativo e até preocupado.

Eu sei que, neste momento, alguns leitores já remetem seus os pensamentos ao que pode parecer mais uma demonstração de hipocrisia e falso moralismo de minha parte, mas não é possível que algo como o que aconteceu em São Paulo na madrugada do último domingo seja, e continue sendo, tratado apenas como mais um.

Até conheço a Rua Tabapuã, na zona sul de São Paulo. Durante o dia, ela tem corredor de ônibus e mais duas faixas em único sentido. Na madrugada, sem os ônibus e sem grande movimentação de carros, a rua é outra. Só que uma coisa nunca muda; o número de ruas que cortam a Tabapuã, como ocorre em todas as ruas de longa extensão.

E a noite… Ela traz a sensação de liberdade, de poder, onde uma ou outra infração de trânsito é até tolerada. E foi essa mistura de componentes, potencializada pelo medo de assaltantes da cidade, que um dos cruzamentos da Tabapuã foi palco de mais uma terrível tragédia de nosso trânsito campeão mundial de acidentes.

Foto: Hélio Torchi/Futura Press

Um Porsche 911 Turbo 997 MKII, último modelo e provavelmente recém-tirado da concessionária, sobe a rua com velocidade de 150km/h e um Hyundai Tucson atravessa o farol vermelho em um dos cruzamentos. A Tucson é arremessada por mais de vinte metros de distância a meio metro de altura e atinge um poste. O Porsche, assim como a Tucson, destruídos. No interior da SUV, uma vítima fatal. Mas todos nós sabemos que isso não foi uma fatalidade apenas. E não preciso me estender demais nessa colocação. A insanidade de andar numa velocidade desta neste local, embriagado ou não, já é suficiente para saber no que poderia acontecer. E infelizmente, aconteceu. Mas Lauro, podem estar pensando alguns, e a motorista da Tucson, também não errou ao passar o semáforo vermelho? Não é infração gravíssima também? Claro, que errou também. Só que o que poderia ser apenas mais um acidente de escoriações ou até membros quebrados apenas, tornou-se um homicídio. O acidente em si, foi do mesmo tipo e praticamente com a mesma velocidade que matou o piloto Gustavo Sondermann durante uma corrida da Copa Montana em Interlagos. Batida em 90º aos 150km/h, só que sem nenhum equipamento de pista.

E chegando aqui é que eu abro a discussão do que está em jogo. O condutor do Porsche será julgado por homicídio doloso, ou seja, aquele em que há intenção de matar. Como diz a lei, ele assumiu o risco de poder matar e até morrer, por isso, se condenado, a pena é grande. Só que a Justiça (que nem merece inicial maiúscula por coisas como esta) determina que, o agora por mim chamado de assassino, possa aguardar julgamento em liberdade mediante uma fiança de R$ 300.000,00. O coitadinho, que já pagou a quantia, só não pode freqüentar bares e casas noturnas, além de não poder sair de casa à noite, nem do país. Ir para outra cidade, só se a Justiça deixar.

Justo? Justo para quem foi preso em flagrante e com sinais de embriaguez? Justo para quem andava à apenas 90km/h além (além!) do limite da via? Será que neste país ninguém será preso por crime de trânsito? Nem o deputado, nem o jogador de futebol, nem o cantor? Não. Ninguém!

Eu não tenho nada contra carros potentes, e acho que aqui ninguém tem. Mas convenhamos; até quando vamos ter que conviver com notícias como esta e saber, que na verdade, nada vai acontecer ao infrator? Até que ponto vale a pena alguns segundos de adrenalina pelo risco de uma tragédia?

Você que é louco por carros, por velocidade, por adrenalina, o que pensa sobre isso? O que você faz para evitar desastres como este? Será que teremos, ou já temos, força para mudar isto um dia?

Um abraço.

Lauro Vizentim

Lauro é Engenheiro Mecânico com MBA em Administração. Trabalha atualmente na indústria de automóveis. Gosta de tudo relacionado à criação, design e, obviamente, carros. Acompanha a Fórmula 1 há mais de trinta anos e escreve para o No Trânsito desde 2009. Espera um dia cursar comunicação ou jornalismo. É casado e tem um filho.

71 Responses

  1. Pedro Klein says:

    Vamos pensar um pouco…Se ela a motorista do Tucson não estivesse passado o sinal vermelho nada disso teria acontecido, concordam?
    Não estou defendendo ele não mas o que esta acontecendo e que não queremos abrir os olhos e ver a realidade, devemos para e pensar um pouco mais.

  2. Rafael says:

    Pedro Klein: um erro não justifica o outro. Ou seja, ela ter errado não dá direito ao motorista do Porsche em errar também.
    Não sei em que país da Europa, as multas são de acordo com o valor dos carros. Acho que essa seria uma modalidade a ser adotada no Brasil.

  3. Se ele estivesse dentro da velocidade, conseguiria frear a ponto de ser somente uma “batidinha” de nada, arranhões nos carros e só

    e se o impacto acontecesse a 60km/h, provavelmente seria sem feridos

    Já corri dentro da cidade.Mas nunca tão rápido, especialmente numa rua pequena com tantos cruzamentos, e NUNCA alcoolizado. 300 mil de fiança foi um valor razoável, dentro da nova legislação – anteriormente era coisa de 500, 1500 reais, coisa ridícula perto da infração.

    Mas é claro, com um bom advogado, o cara vai se livrar, e ainda ter os 300 mil devolvidos.

  4. lsussumu says:

    Ambos erraram, como disse Pedro Klein “…Se ela a motorista do Tucson não estivesse passado o sinal vermelho nada disso teria acontecido…”. Concordo com você, e se ele nao estivesse a 150km/h tambem não teria acontecido(embriagado ou não). A midia está tratando o motorista do porsche como um monstro e que ele é 100% culpado pelo acidente e que os 300mil de fiança foram poucos pelos danos causado, mas ao meu ver a culpa do motorista é a mesma que a da motorista do tucson. Foi uma fatalidade ela ter morrido. Caso ela sobrevivesse como o caso seria tratado?

  5. Felipe Soares says:

    Possuo uma Triumph Daytona 675 e assim como o motorista do Porsche, gosto de acelerar, porém, sei que quando faço isto assumo todo o risco e responsabilidade para mim ! Há tantos lugares habeis para isto… Rod. Bandeirantes, Rodoanel, mas tem algumas pessoas que insistem em fazer dos seus carros armas, bombas prontas para explodir à qualquer momento… Ai vem a nossa super ” Liga da Justiça ” enche seus bolsos com R$ 300 mil e fica td por isso mesmo…
    Agora me pergunto R$ 300 mil reais é o preço de uma vida ? é o valor que pagamos por ser irresponsável, matar uma pessoa ???
    Com certeza não !

  6. Edu S. says:

    Para acelerar hoje em dia o que não falta é opção.
    Ainda mais com uma 911 Turbo. Basta participar dos eventos da Driver.
    Tenho 25 anos já sofri um acidente e fiquei 2 meses internado em um Hospital, não por estar alcoolizado, mas por culpa de um motorista alcoolizado.
    Em casa já temos uma Turbo e uma C63 e sei muito bem que o carro oferece.
    Ao participar do primeiro evento da Driver, vi coisas na Rodovia que me fizeram repensar em ir nestes eventos, pois ao cair na estrada, as pessoas fazem coisa absurdas com seus carros super potentes até o dia em que causar algo mais sério, que foi o que ocorreu com este rapaz.
    Eu concordo quando algunas disseram que a menina tb estava errada, mas tenho certeza que o rapaz estava com o farol apagado, não é possivel que qualquer pessoa em sã consciencia não enxergaria aqueles potentes farois de Xenon que o carro possui, ainda mais que esxiste a opçao automatico?
    Pensaram nesta hipotese ?

  7. Eduardo Fonseca says:

    Lauro parabéns, aprecio muito seus textos, independente de concordar ou não!!!

    E neste caso eu concordo sim!

    É fato, a motorista da Tucson estava errada sim, ultrapassou o farol vermelho. É fato também que o motorista do Porsche estava errado, pois estava a 150 km/h em uma via onde o máximo seria 50km/h.

    Acontece que em uma cidade onde vivemos com uma extrema tensão e medos de assalto é comum (apesar de não ser correto) vermos pessoas ultrapassando sinais vermelhos nas madrugadas de SP, eu mesmo já fiz isso algumas vezes com medo de assaltos (não podemos ser hipócritas), e acredito que por isso as pessoas que andam pelas madrugadas devem ter o mínimo de consciência de que alguém poderá cruzar à sua frente de repente só que há uma grande diferença entre vc tentar desviar de um carro ou parar à uma velocidade de 50km/h, 60km/h, 70km/h, do que qnd vc está a 150km/h…….vc não tem tempo nem de pensar em reagir!!!

    Uma situação dessa é complicada, pois ela deve ter olhado para os lados e não visto nada, qnd atravessou o Porsche apareceu…(sei lá, suposição minha)

    Também fico preocupado com esse tipo de notícia, afinal sou apaixonado por esse tipo de carro, e isso pode acabar prejudicando a imagem dos carros e tbm de quem tem esses carros, coisas do tipo: quem tem esses carros são irresponsáveis, correm pelas ruas…..e sabemos que não são todos né.

    no final das contas sabemos que uma vida se foi, e isso é o pior de tudo. Meus sentimentos para a família dela……

    bom, é isso….vamos torcer pra que isso não ocorra mais e tentar deixar o trânsito um pouco melhor!

    esse vai ser polêmico….rsrsrs

    Abraços e bom dia!!!

  8. Eduardo Fonseca says:

    aaahh….uma outra coisa que me preocupa….pra onde (ou quem) vai essa grana que ele pagou hein????

    Dizer que vai para melhorias no trânsito (poderia ser para o NT mesmo…huahuahua) é um absurdo, desculpe mas não acredito!!!!

  9. Victor Ligeiro says:

    L Sussumu: Caso ela tivesse sobrevivido ao acidente, o motorista do Porsche responderia apenas por lesão corporal na direção de veículo automotor, ou seja, pagaria apenas uma cesta básica a uma entidade de caridade e pronto. Nesse caso, por ter ocorrido homicídio na direção de veículo, apesar das imposições da justiça em não frequentar bares, viajar para outra cidade com autorização ou proibição de ir para exterior, são sanções que tem o prazo de dois anos, após isso ele estará liberado para voltar a voar pelas ruas de São Paulo. Ainda tem o fato dos advogados dele, que se por algum motivo tiverem influência, contatos, um mero pedido do motorista, escrito a mão mesmo, o juiz o libera para viagens no próprio país.
    Infelizmente, apesar de ser estudante do Direito e estagiário do Ministério Público, tenho o conhecimento, assim como todos de que quem tem dinheiro nessas situações é muitoooo favorecido.
    Concordo com o Rafael de que um erro não justifica o outro. Mas convenhamos que a maior probabilidade da vítima ter cruzado a preferencial foi o medo da violência, de ser pega em um assalto, sequestro, parada no semáforo, porém a velocidade com que o Porsche colidiu é absurda.
    Meu tio tem uma F430 e um 911 4s, porém todas as vezes em que andei com ele, o cara sempre respeitou as velocidades, sempre curtindo o carro. Me lembro uma vez de ter dito pra ele: “tio, da uma esticada”. Estavamos em uma avenida ai de São Paulo que não me lembro e ele disse que não era lugar, que pra isso tem lugares próprios.
    Enfim, o fato é que infelizmente a motorista do Tucson faleceu, o motorista do Porsche não será preso, e após 2 anos o processo será finalizado e a culpa dele extinta. Essa é a realidade. Quanto aos danos causados, ai depende da família da vítima em entrar com uma açõa, mas ai sabemos que, para conseguir algo, serão anos e anos de luta.

    Parabéns pelo texto Lauro!!!

  10. RTP says:

    Quem nunca passou um sinal vermelho na madrugada?! Em qq lugar no nosso querido país existe o risco de ser abordado em um sinal na madrugada… a jovem errou por tentar proteger sua vida da violência urbana. Já o jovem “piloto” errou por ameaçar a vida dos outros no nosso violento trânsito.

    Concordo com o EDU S, se quer acelerar forte, “Basta participar dos eventos da Driver”… lamento pela vida da jovem.

  11. Estéfano says:

    Acho que no Brasil tem tantos erros que quando acontece algo assim é preciso bom censo pra analisar “quem está mais errado”.
    A insegurança é obvia no Brasil então todos “furam” o sinal de noite, mas dirigir bebado a 150km/h dentro da cidade está muito mais errado ou criminoso.
    Mas o problema é muito maior que isso, porque não temos segurança e temos que passar no vermelho? Porque o dono do porsche não tem medo de dirigir embriagado? E porque a justiça não é feita?
    São coisas que comvivemos todos os dias e toleramos que permitem uma barbaridade dessa e quando aconte choca.

  12. Edcarlos Wolff says:

    Vejo isso como um conjunto de erros…

    Se ele não estivesse a 150 Km/h..
    Se ela não furasse o sinal vermelho..

    Entendo a indignição do autor do artigo com a Justiça… Contudo, eu como estudante de Direito, e com o pouco conhecimento adquirido ao longo do curso, entendo que tais críticas não devem ser direcionadas especificamente à Justiça ou ao Poder Judiciário, principalmente, porque o Juiz é um mero aplicador da Lei, tem um certo poder de discricionariedade, mas é pouco, o q

  13. Faustão says:

    Foi uma infeliz fatalidade. A advogada, por medo de assalto passou no farol vermelho, assim como a maioria de nóz faz de madrugada. O motorista da porsche acelerou além da conta, sim o fez, como tb nós fazemos as vezes, numa avenida vazia noite, assumindo tb as consequências de nossos atos. Acho que os dois estavam errados, cada um com proporções diferentes, mas tratar o cara como um assassino potencial é um pouco de exagero na minha opinião… Alguém aqui que, assim como eu, assite embasbacado os videos que pipocam aqui e no youtube de supercarros saindo de lojas ou do posto ipiranga da avenida europa com motor cheio , que lá tb é uma questão de teempo até acontecer algo assim? Lembbro-me de um video que vi aqui com varias dessas puxadas em plena luz do dia que uma Ferrari saia do posto com pé embaixo e um cara que atravessava a rua teve de correr para sair da frente???? Então esse cara da Ferrari é tão assassino quanto o motorista do Porssche e o cara que atravessou a rua fora da faixa esta errado como a advogada que avançou o sinal as 3 da manhã… Não vou julgar ninguém aqui, mas nada deve ser pior no mundo do que carregar para sempre o peso de ter causado a morte de alguém que não merecia… Sinto muito pela perda da familia da advogada e pela culpa carregada pela familia do motorista do porsche… Que cada um tire suas ppróprias lições desse triste episódio… Abraços!!

  14. Edcarlos Wolff says:

    … o que deve ser revisto são as Leis, que são criadas pelo poder Legislativo…

    Então ao meu ver, tal indignição não deveria ser direcionada à Justiça… mas sim ao responsáveis pela criação das Leis…

  15. Ana says:

    Estava lendo todos os comentários, e eu acho que o rapaz tem culpa sim… é pura matemática, para quem conhece a Tabapuã, ela deve ter aproximadamente de 1 km de extensão, se ele estava a 150km/h, isso quer dizer que em 24seg ou menos ele percorreu toda a extensão até atingir o carro dela, mesmo ela olhando em direção de onde o carro dele vinha, daria tempo suficiente dela passar o sinal, caso ele estivesse em uma velocidade permitida. Se vc fizer os movimentos de parar no farol, olhar, engatar o carro, e sair, já se foram os 24seg… é como se não houvesse carro e derrepente tem um encima de vc!…

  16. Eduardo Fonseca says:

    é Faustão…concordo contigo cara, ótima comparação!!!!

  17. Araripe says:

    Lauro, use esse canal pra iniciar uma campanha de “semáforo amarelo” durante a noite em vias secundárias da cidade (ao exemplo de cidades civilizadas pelo mundo). Quem sabe nesse caso, tanto a Tucson como o Porsche, não teriam ambos olhado a transversal com um pouco mais de cuidado antes de atravesar. Ótimo artigo!

  18. Alexandre A. ctba pr. says:

    Acidentes assim acontecem a cada minuto no brasil, só estão dando tanto “valor” assim porque ambas as partes possui alto SDECC ( Saldo Disponível em Conta Corrente ).

    Se fosse uma batida entre 2 chevettes e os 2 motoristas estivessem mortos, com toda certeza, não teria matéria nenhuma.

    Por isso prefiro nem tentar entender quem foi o culpado.

    O mais lamentável ao meu ver, é tamanha “babação de ovo” porque ambos são ricos.

  19. Eduardo Fonseca says:

    Alexandre, respeito sua opinião…..e entendo sim que acidentes como esse ocorrem em diversos cantos do país e do mundo, acontece que ESTE assunto foi colocado em pauta pra ser discutido agora e por isso neste post o assunto será ele, até mesmo pela repercussão que teve….por isso discordo quando diz que é “babação de ovo”…

  20. RTP says:

    Sempre tem um “revoltadinho” né…

  21. caio garvim says:

    tadinho do 911 =(
    e ainda a Hyundai diz que tem 5 estrales no teste na euroncap(empresa que faz crash tests na europa)

  22. MK says:

    É como eu sempre digo…
    Ter dinheiro não significa obrigatoriamente ter educação ou inteligência.
    Carros potentes nas mãos de pessoas despreparadas ou irresponsáveis só pode acabar em tragédia.
    Devemos educar as pessoas desde a infância na escola para o trânsito.(Leis,regras,direção defensiva,etc)
    Meus sinceros sentimentos às duas famílias.

  23. Murilo says:

    Concordo com a galera aí, não é só porque o cara tem um carrão e passou a 150KM por hora (ele é culpado também).. mais a moça é a verdadeira culpada da morte dela, pois furou o sinal e etc. Pelo menos eu acho isso.

  24. James says:

    O cara do 911 estava errado?? lógico que estava..mas verdade seja dita, independente de estar a 150 ou 350km/h se a moça tivesse parado no semáforo não teria morrido, o fulano ae teria passado e nada disso teria acontecido, simples assim.
    Eu moro em Campinas e aqui é uma festa passou das 11 NINGUÉM para em semáforo, nem ao menos reduz a velocidade, simplesmente passa, até ônibus articulado faz isso.
    Eu sou totalmente contra desligar radar em semáforo pq td vira festa,
    aqui radar desligado é igual a PASSAR EM SINAL VERMELHO, acho isso um absurdo, já quase perdi a lateral do meu carro N vezes por culpa desses energúmenos que não respeitam sinal a noite
    Assalto?? vc pode ser assaltado de qq forma, se cara quer assaltar vc ele vai assaltar, independente de vc estar parado no sinal ou não..
    Quem não respeita sinal a noite devia ter o MÍNIMO de senso, mas quase ninguém tem, ao menos aqui em Campinas não..
    A maioria das pessoas culpa o cara do 911 como se fosse o único culpado da M(*&¨,(**
    Alguem viu o vidro desse Tucson? O G5 vezes 2 predomina o Posrche poderia estar com td xenon do mundo ligado a a visão da moça seria precaria do mesmo jeito.
    Como disse os dois são errados, ninguém ae foi santo, mais a moça do Tucson na MINHA opinião foi um pouco mais.

  25. rodrigo polli says:

    Os dois estavam errados, fato. Me revolto com as pessoas que ficam defendendo coisas q nem sabe como realmente ocorreu. Ela assumiu o risco de provocar um acidente fatal também. E se o motorista do Porsche tivesse morrido e ela não? Ai mudaria os “santos” né? Pra mim foi uma fatalidade, um legítimo acidente. Agora pergunto ao NT, e se ele estivesse na velocidade máxima permitida na via, será q nao iria acontecer a mesma coisa, ou seja, resultado morte? Os 300 mil vai voltar pro bolso dele, tenho certeza absoluta. Ele não fez nenhum boletim de ocorrencia e muito menos interrogado. Abraços

  26. Raquel says:

    Nenhuma mulher com um mínimo de consciência para em semáforo vermelho durante a noite em São Paulo, principalmente num cruzamento simples como era esse do acidente. Acredito que todas as mulheres concordem comigo e também que todos os homens recomendem tal ação às suas esposas e filhas. Mas uma coisa é varar o semáforo e outra é parar, olhar e atravessar. Se o cara estava nessa velocidade, imagino que a menina tenha olhado e tenha visto um carro de longe, ou até mesmo nem tenha visto, dependendo da onde ele começou a acelerar. Por isso, a velocidade em que ele estava impossibilitou um avançar seguro no semáforo vermelho, o que aumenta ainda mais a culpa dele.

  27. ROGERIO says:

    Lauro, achei seu post muito lúcido e preciso. Por mais que gostemos de velocidade, carros e adrenalina, um assassino lunático dirigindo a 150 km/h numa rua é um crime hediondo.

    Culpar a motorista é cínico, se me permitem. Desculpe se ofendo alguém, mas não tenho como classificar de outra forma. Mesmo ignorando que talvez a motorista tenha avançado o sinal com medo de ser assaltada, temor que todos devemos ter. Mas nessa velocidade alguém acha que ele pararia em algum farol vermelho? Se fosse verde para a moça morta, a tragédia ocorreria da mesma forma, como poderia ter ocorrido caso fosse alguém atravessando a rua.

    Quem dirige nessa velocidade é um assassino cruel que está pouco se importando com a vida alheia. Ainda mais quando faz isso bêbado.

  28. Leonardo Reis says:

    Esse é o retrato de um país onde a cultura do álcool prevalece. Lugar onde muitos valorizam o ato de se embriagar e aprontar qualquer tipo de besteira por ai. Muitos acham “lindo” tomar todas e dirigir por ai, arrumar briga e etc. Mas quando acontece algo desse tipo, todo mundo condena, acha um absurdo, não faltam julgadores. Quando o assunto sai de cena, voltam as velhas práticas. Infelizmente, este o filme que passa toda semana em vários lugares do nosso país.

  29. y C says:

    Eu previro não me ater sobre o assunto, insinuando quem é ou deixa de ser culpado mas tem alguns fatos que eu gostaria de levantar.

    Será que a ocupante do tucson também não apresentava sinal de embriaguez?Apesar de o Porsche ser um dos esportivos mais silenciosos, pela velocidade que ele apresentava daria para ou ouvir o ronco do motor que deveria estar ao no mínimo 3mil RPM ou o canhão de xenon do carro ao fundo sendo uma pista reta, ou o dono do Porsche estava a uma velocidade absurdamente alta e pegou a falecida de surpresa pois a velocidade de impacto pode ter sido de 150km/h mais a velocidade que ele apresentou antes pode ter sido muito maior,o 911 tem um dos melhores freios de sua categoria! ele freia de 0a 120 em apenas 49metros, o ocupante do Porsche poderia estar a 200km/h!

  30. Eduardo Fonseca says:

    Justamente pelo fato de sabermos que pessoas não respeitam o semáforo de madrugada, não é possível admitir que alguém cruze diversas ruas em uma velocidade próxima ou superior aos 150km/h (pois concordo com o YC, ele ainda deve ter tentado frear e sua velocidade era muito maior) sem achar que NINGUÉM poderá aparecer a sua frente.

    A motorista da Tucson PODERIA estar embriagada? SIM! O filme nos vidros pode ter atrapalhado? SIM! Ela estava certa ao tentar cruzar a avenida com farol vermelho? NÃO!

    O motorista do Porsche, mesmo que estivesse acima da velocidade permitida no local, porém a 70 ou 80 km/h as consequências TALVEZ teriam sido outras: a batida seria inevitável e alguns ferimentos os dois poderiam sofrer; o motorista do Porsche teria tempo hábil de reagir e tentar frear o carro.

    Sim os dois estão errados, mas o motorista do Porsche teve a infelicidade de matar uma pessoa em um acidente que poderia ter consequências mais leves, se sua velocidade fosse menor.

    Não quero julgar ninguém não, e também não me revolto com as opiniões expressas neste espaço, afinal cada um tem a sua e age da forma que lhe convém, no trânsito e na vida tendo que assumir sim, suas responsabilidades.

  31. Gosto muito do debate de idéias, pois aprendo sempre mais um pouco sobre qualquer tema. Agradeço muito a opinião de todos aqui. Opiniões, aliás, bem diversas, e todas com bons argumentos.

    Mas uma opinião, a do nosso amigo Alexandre A. Ctba Pr, me chamou a atenção. O site No Transito se dedica a fotos maravilhosas de máquinas maravilhosas como é o caso do Porsche 911 Turbo 997 MKII. Como sabemos, carros deste tipo tem tecnologia, conforto, design e… potência. Obviamente, são destinados à uma parcela quase insignificante da população, que pode sentir o prazer de dirigir uma destas máquinas.

    Aí vem a questão do dinheiro, do “saldo disponível em conta corrente” como o Alexandre disse. E completada pelo ótimo exemplo de “se fossem 2 chevettes”.

    Se ambos morressem, complementando o que o comentário do Alexandre disse, seria diferente sim. Não haveria hoje, livre e R$ 300 mil mais pobre, um assassino na rua.

    Ah, mas e se a motorista da Tucson sobrevivesse e o motorista do Porsche não? A inversão seria imediata, ou seja, ela seria culpada por cometer a infração que resultou na morte de um motorista.

    Olhem que curioso: ambos cometeram infrações, ou seja, estavam errados. Ambos cometeram o que é conhecido como ato inseguro, ou seja, ação cometida pelo ser humano que o coloca em risco de lesão ou morte. Não dá pra julgar qual ato inseguro é mais ou menos relevante.

    E aí tem a condição insegura, que é a da própria via de tráfego. Se cruzasse um caminhão na frente do Porsche, adeus. Se fosse uma moto, meu Deus! Se fosse um cachorro, prenderíamos o dono que o deixou solto? E se fosse uma ambulância levando alguém para escapar da morte?

    A minha cabeça não me deixa entender o que faz alguém, em um lugar como este, andar a uma velocidade destas. Não é questão de culpar alguém apenas. A questão é que amanhã pode ser comigo, com você, com quem você mais gosta.

    Que pelo menos tenha acendido um sinal amarelo na cabeça de cada um de nós.

    Valeu!

  32. paulo says:

    por causa de uma negligente, sem o menor traquejo ao volante, que segundo testemunhas, “AVANÇOU O SINAL VERMELHO” que temos um maravilhoso 997 a menos no planeta.
    meus pêsames ao maravilhoso porsche.

  33. Alberto says:

    O problema é que quem morre no Brasil, vira mártir. Se o cara do Porsche tivesse morrido, a mulher seria o monstro da história. Isso é inveja do cara, só pq tem dinheiro, pessoas morrem em batidas a 60km/h, não acho que uma batida lateral tenha muita diferença pelas velocidades.

  34. Victor BM says:

    Discussão inútil. Esse discurso de barbeiro aí pra mim não cola. Quem sabe dirigir, sabe ao menos o que está acontecendo em volta.

    O problema é o seguinte, todo mundo tem que dirigir feito um retardado com 2 neurônios, porque está cheio de retardados com 2 neurônios no trânsito.

    Velhos(as) sem audição e visão, mulheres passando batonzinho e falando no celular, bundões com medo de dirigr, não deveriam ter permissão para conduzir um veículo.

    A solução é simples, mas ninguém quer enxergar nem aceitar. Os testes conceder a permissão de dirigir deveriam ser mais rígidos.

    90% da população não consegue nem estacionar o próprio carro sem bater em algum veículo, objeto ou meio fio.

    Quando se trata de trânsito então, é rir pra não chorar diante da quantidade de tapados sem reflexo, agilidade, atenção, pensamento lógico, noção de espaço e velocidade.

    O retardado do porsche tava doidão fazendo cagada, mas eu te garanto, se fosse eu cruzando essa rua não ia ter acidente.

    Se eu ando frequentemente carcado na cachaça, em velocidades entre 140 km/h e 200 km/h, enxergando tudo a minha frente durante a noite. COMO UMA RETARDADA DESSA, NUM CARRO ALTO, COM JANELAS GIGANTES, NÃO ME VÊ 2 CANHÃO DE XENON TREMENDO PRA TODO LADO?

    AH ESSA VADIA PEDIU PRA MORRER, DEVIA TA CARCADA NA CACHAÇA TAMBÉM, FURANDO SINAL ENQUANTO MANDAVA MENSAGEM PRO PEGUETE. BEM FEITO!

  35. Felipe Espíndola says:

    Acredito que que ocorreu uma sucessão de erros e, como bem mencionou o Alberto, quem morre vira mártir. E, ainda por cima, o “assassino” vai ficar livre pois tem condições de bancar uma fiança de R$600 mil. E isso gera uma revolta no cidadão comum. Foi uma fatalidade. Agora, o mais errado (bêbado, em alta velocidade no seu carro caríssimo) vai ter que pagar.

  36. lsussumu says:

    Victor Ligeiro

    Entendi Rafael, ontem conversando com um amigo ele falou a mesma coisa. A mulher pode ter passado o sinal vermelho, e estar errada, e se o cara do Porsche estivesse dentro da velocidade permitida, e mesmo assim ela morresse ele responderia do mesmo jeito pois teve vitima fatal.

  37. Faustão says:

    Gostei muito do comentário do amigo Lauro Vizentim! Não tinha pensado nisso; se não exisstisse o Tucson na história, mas um simples cachorro cruzando a frente do Porsche a desgraça estaria feita tb…. 150km/h (isso se ele não estivesse acima disso e tivesse freado) é uma velocidade excessivamente alta para uma via com carros, postes, guia e demais obstáculos…. E se o motorista estava alcoolizado os reflexos dele, por mais abituado com maquinas como essa que ele pudesse ser, já estavam comprometidos…. Volto a repetir o inda vamos ver uma tragédia assim na avenida europa em pleno sabado de manha…. E pelo volume de apaixonadoss que vão até la paara filmar e fotografar, essa tragédia anunciada tera varios registros….
    Se o cara do porsche estivesse dentro das velocidades aceitáveis da via (se o limite era 60; que ele estivesse a 70….) e não estivesse alcoolizado, provavelmente tudo não teria passado de um susto ou, nno máximo, uma batida tradicional de transito… Ontem pesquisando no google imagens por “acidente gt-r” achei um gt-r em são paulo que bateu de madrugaada pois um fit com 04 moças cruzou a frente dele… O cara até bateu no fit e destruiu um pouco a frente do GT-r.. MAS NINGUÉM MORREU… Talvez porque ele não estivesse a 150k numa avenida e nem alcoolizado????? Foda… Abraços!!!!

  38. Faustão says:

    Olha a noticia do gt-r que mencionei acima:
    http://forum.streetsampa.com.br/viewtopic.php?t=43330

    abraços!

  39. Eduardo Fonseca says:

    Faustão, um primo estava presente neste acidente, inclusive ajudou a retirar o motorista do GT-R do carro, que por sinal era algum executivo da Flash Power.

    Eles estavam lado a lado na em um farol da faria lima (antes ao do acidente), e quando semáforo abriu o GT-R acelerou, porém no próximo semáforo, o FIT varou o vermelho.

    O motorista do GT-R não conseguiu desviar e acertou o FIT. Segundo os relatos, a porrada foi tão forte que por muito pouco o GT-R não capotou, chegando a sair do chão.

    A motorista do FIT, logo em seguida deixou a cena do acidente, deixando suas amigas no local, o que levantou a suspeita de estar embriagada.

    Talvez este seja um ótimo exemplo para comparação, onde as causas do acidente foram muito parecidas, mas não houve vítima fatal.

    Se o GT-R estivesse à 150Km/h por hora, com certeza o final da história seria outro.

    Abraços!

  40. MK says:

    Estou lendo alguns comentários que me deixam realmente preocupado.Um acidente como este deveria fazer as pessoas que andam abusando por aí refletirem sobre o que pode acontecer com elas.Mas vejo muitos comentários tentando justificar,ou inocentar ou tornar o camarada (bêbado a 150Km/h!!) vítima.Tomara que estas pessoas não se tornem os futuros protagonistas.Agora eu pergunto a estas pessoas:E se o farol ficasse vermelho para ele?Vocês acham que ele iria parar?Já tentaram frear um carro a 150Km/h?Em linha reta?Na cidade?Bêbado?Com sono?

  41. Alexandre A. ctba pr. says:

    Esse assunto é muito polêmico, mais polêmico que Mamilos.

  42. alberto says:

    MK, um Porsche para fácil a 150kh\h. Não querendo justificar, mas prefiro bater a 150 por hora em um Porsche do que a 40 em um Uno. A culpa do acidente foi concorrente por ambos, ele não é assassino é vítima e autor ao mesmo tempo, como a moça.

  43. MK says:

    Alberto,tem certeza que prefere bater numa porsche a 150Km/h do que num Uno a 40Km/h?…

    Garanto que a moça do Tucson,não…

    Pois esta Porsche não parou fácil a 150Km/h.

    Continuo,preocupado…

  44. pedro says:

    Olha concordo plenamente com o texto. o Motorista do Porsche esta TOTALMENTE ERRADO EM TRANSITAR EM VIA PUBLICA A 150 KM/H. Mas ele nao pode ser preso por Homicido Doloso ( quando ha a intenção de matar) E Sim por Homicidio Culposo, porque a advogda FUROU O SINAL VERMELHO !

  45. pedro says:

    e nao sei se o motorista estava bebado.

  46. Vitorino says:

    Seguem fotos e comentários de alguns acidentes com “super carros”.

    http://noticias.terra.com.br/brasil/fotos/0,,OI161140-EI306,00-Alta+potencia+veja+imagens+de+acidentes+com+supercarros.html

  47. Eric Oliveira says:

    Esta havendo um julgamento injusto aqui pois isso foi um ACIDENTE de transito, no qual houve vitima fatal, mas a advogada é tão culpada do acidente quando o empressario q

  48. Eric Oliveira says:

    Ocorreu um ACIDENTE no trasito, no qual houve uma vitima fatal. A adovogada é tão culpada do acidente quando o empresario que dirigia seu porsche a 150Km/h que provavelmente seria mais, porque concerteza ele freou. Para quem nao conhece o porsche é um dos carros mais seguros do mundo, pois ele eh td projetado para andar a essa velocidade, entaum um acidente desse nao deixaria vitimas no porsche, pode-se até reparar nas fotos q a Tucson virou ferro retorcido, jah o porsche nao foi tão destrui em comparaçao com a tucson, mas como disseram ai em cima, quem não iria ver os dois façhos d luz d xenon 4000k vindo em sua direção, a motorista poderia estar ao celular, sem prestar atençao na via, ai ter causado o acidente, pois qualquer um iria ouvir o som de um porsche vindo a 150Km/h, ainda mais na sua direção.
    Eu acredito ainda que os dois são culpados, um por ultrapassar a velocidade permitida no local e a outra por passar no sinal vermelho…
    E outra, em uma via com muitos semaforos, geralemnte eles são sincronizados, entao se vc pega um deles abertos, consequentemente os outros tambem irão estar abertos, então o dono do porsche acelerou msm pois sabia q tds os semaforos iriam estar abertos para ele, infeliz foi a advogada que cruzou seu caminho, e pagou caro por ter PASSADO NO SINAL VERMELHO…

  49. Thiago T says:

    Pessoal, só queria uma coisa. Que todos fossem tratados do mesmo modo. Porque não colocam fiança para um bandido que rouba um carro, arrasta uma criança e mata? Porque tratamento diferente?

    Concordo que foi um conjunto de erros, o cara passou da velocidade limite e ela passou no sinal vermelho, Um erro não justifica o outro porém só porque ele tem dinheiro, vão extorqui-lo com 300 mil reais, sabendo que ele pode pagar e não prende-lo?

    Tenho super esportivo, como conheço muitos que tem também, evito de andar na rua com o carro pois participo de eventos em pista e da driver porém todos estamos sujeitos a isso, quem nunca acelerou de madrugada? Quem nunca fez uma cagada dessas quando novo ? É duro julgar depois do acontecido.

    Porque não colocaram fiança pro deputado que bateu a mais de 200 na sua perua passat e matou 2 pessoas naquele fit? A mãe dele aparece direto na tv chorando e ninguem faz nada. O pais é muito injusto…Se formos ficar discutindo isso aqui, não chegaremos a um consenso e só serão brigas….

  50. Faustão says:

    Falou bem Thiago… O Tal deputado bateu a mais de 200 (que é bem mais que 150) e matou 2 final podemos criticar e condenar (em vez de 01) e o caso já caiu no esquecimento…..
    Acho que esse caso so esta tendo essa repercussão toda por uma única palavra; “Porsche”…. É a inveja de quem tem esses carros vindo a tona… Li todos os comentários e uma coisa me chamou a atenção.. Deixando um pouco de lado o assidente e pensando mais em fisica… O Ronco do motor do porsche nã é mais forte atrás do carro (de onde ele esta vindo) do que na frente dele (para onde ele esta indo)??? Concordo que os faróis seriam bem visiveis a noite, a mesno que não se olhasse para eles.. ou seja.. dentro de um carro, com os vidros feco, talvez com o som ligado…

  51. Faustão says:

    CONTINUANDO: talvez até distraida conversando (ela não estava sozinha), talvez até acima da graduação alcoólica permitida (afinal as 3:00 da madrugada de um domingo ela deveria ter saido de algum barzinho ou algo do tipo) ela NUNCA iria ouvir o ronco do porsche se aproximando….. Na minha opinião o cara do porsche aproveitou o horário e a rua deserta para dar uma esticada antes de chegar em casa (afinal pra que se compra um bolido com 500 cv???) e a advogada simplesmente roletou o farol sem olhar… Como disse em meu primeiro comentário; foi uma infeliz fatalidade… A verdade é que os dois estavam errados e no local erraado no preciso momento errado… Infelizmente a vida tem dessas coisas……… Abraços!!!

  52. Henrique B. says:

    A culpada pelo acidente, foi a motorista do Tucson. O culpado pela gravidade deste acidente, foi o motorista do Porsche.

    Ambos estao errados, alem de nao respeitarem as legislacoes do transito, falharam tambem porq nao esperavam alguem furar o sinal ou alguem correndo de madrugada num fds… e convenhamos, isso, praticamente, eh normal em SP!!!

    Infelizmente houve uma vitima fatal, que Deus a tenha.

  53. EB says:

    Ambos erram sim! Contudo, numa cidade tão violenta como SP, uma mulher sozinha parada no semáforo de madrugada é ‘pedir’ para ser assaltada… O fato não é o Porshe ter colidido com a Tucson que ultrapassou o farol vermelho, mas o fato de que o veículo sendo guaido a pelo menos 150 km/h (sim, pq essa é a velocidade no momento da batida, mas a quanto esse motorista não dirigia antes da colisão???) poderia causar um grave acidente com qualquer coisa que aparece repentinamente em sua frente, seja um cachorro atravessando a rua, um idoso, ou um carro passando no farol vermelho! Qual a necessidade de dirigir a essa velocidade, ainda mais numa rua com vários cruzamentos?? Pura imprudência e prova de como as pessoas se deixam levar pela emoção… responsabilidade ao volante é obrigatório, e não optativo!

  54. Almir says:

    Se ela não furasse o sinal vermelho..
    todo mundo estaria feliz..
    Queria ver si a tucson estivese a 150k e batido no Porsche 911 a midia nao estaria falando nada e nimguem saberia desse acidente.

  55. Rodrigo says:

    Caso o Porsche tivesse colidido na traseira da Tucson a história teria sido diferente. Como a colisão foi na lateral, mesmo que fosse outra camionete andando no limite da via, o resultado provavelmente teria sido o mesmo, pois quase não existe proteção nesta aérea do veiculo.

  56. Luciano Reis says:

    Você que não tem dinheiro e nenhum hobbie, mesmo porque seu dinheiro não lhe permite ter um, não entende a necessidade de alguém q tem um carro de 500cv de potencia chegar a 300..

    o cara gastou 500 mil em um carro é pra acelerar com segurança (pra ele pelo menos), a gente gasta horrores com IPVA, Seguros e Impostos.. é pra ter a porra do semáforo funcionando em sicronia pra não deixar acidentes acontecerem.. furou o semáforo.. morreu..

    o cara tava a 90 km/h acima do limite.. AGORA, CAROS, PENSEM [2hrs da manhã, em um carro com 500cv.. pra ele.. (0 a 100 em 4 segundos) ele era devagar.

    ELA TAVA ERRADA!! E FATALIDADE ACONTECE.. FALAR Q O CARA TAVA COM SINAL DE EMBREAGUES? EH PURO AMADORISMO, QUALQUER UM Q JA BATEU O CARRO ATEH COM MENOS VELOCIDADE, SABE Q NAO EXISTE UM Q SAI DO CARRO ANDANDO E RINDO DO Q ACONTECEU…

    PAREM DE FALAR DE CULPA. NAO HOUVE CULPA, HOUVE UM ACIDENTE..

  57. É pessoal, eu li. Li cada um dos comentários postados aqui com muita atenção e, embora eu tenha expressado meu ponto de vista sobre o acidente, usei da imparcialidade para ver se minha opinião não era precipitada ou injusta. Complemento a minha coluna e meu comentário postado com o seguinte:
    – A maioria entende que houve culpa dos dois condutores, tanto a motorista da Tucson, quanto o motorista do Porsche. Isso, por si só, já diz que a fatalidade que muitos citam só pode ser atribuída ao seu significado de desgraça e não ao de destino.
    – Ambos agiram com imprudência, ou seja, não agiram como que se esperava de cada um deles diante das situações de semáforo fechado e velocidade máxima permitida no local. Agiram também com negligência, sem o cuidado necessário. Se assim ocorreu, o motorista do Porsche agiu com falta de inteligência, pois como muitos depuseram aqui, muita gente atravessa o sinal vermelho com receio de assaltos. O motorista do Porsche sabia, como qualquer habitante de cidade grande, que atravessar uma via de extensão relativamente grande e com vários cruzamentos pela madrugada requer muita atenção e prudência. Não que atravessar um farol vermelho deva ser considerado ato aceitável, mas entre andar a uma velocidade absurda em via não compatível e atravessar um farol vermelho em baixa velocidade, qual é mais justificável no local do acidente?
    – A motorista da Tucson poderia estar embriagada, levantaram alguns amigos em conversas informais. Sinceramente, não sei se há provas disso, mas vamos assumir, hipoteticamente, que sim. Isso pode justificar até uma eventual desatenção e/ou falta de reflexo para cumprir o que se propôs a fazer que foi atravessar um farol fechado. Se a motorista sobrevivesse e o motorista do Porsche viesse a óbito, ela seria condenada, sem dúvida, e por homicídio doloso também. Pergunto: quem potencializou as conseqüências do acidente? Um dos amigos comentou que anda freqüentemente alcoolizado e em velocidade parecida com a do Porsche na hora do acidente. Outro amigo, que postou que ficou dois meses internado por causa de um motorista embriagado explicar o que sentiu com mais detalhes.
    – Minha mãe dirige ainda hoje. Ela tem mais de setenta anos e utiliza o carro para, entre outras coisas, levar meu pai (que não dirige mais) ao médico, com certa freqüência. Minha mãe não vai pra balada, por motivos óbvios mas, mesmo em plena luz do dia, ela pode ser vítima de alguém que cruza o farol vermelho ou que anda acima do limite. Nem por isso ela vai deixar de levar meu pai ao médico. O trânsito é um local de convivência, não de concorrência, por isso ela continua, assim como tantos outros que, infelizmente, carecem de habilidade, visão, julgamento de velocidade e distância, etc. À quem cabe evitar o acidente? O habilidoso ou o limitado? Isso chama-se direção defensiva.
    – Finalmente, o comentário imediatamente anterior a este merece um parágrafo à parte. Eu tenho poder aquisitivo limitado, o que não me permite entender o que é a necessidade de se chegar a 300km/h sobre 500cv de potência. Portanto, assim como sugeriram teste de aptidão ao volante, também deveria ter um teste de sanidade mental para quem tem dinheiro. E se o cara decide testar o foguete que comprou só pela necessidade de ver algum alvo explodindo? Se o cara compra uma arma, precisa matar alguém e pronto, só assim satisfaz a necessidade de usar o equipamento. Que atire na própria cabeça então! Que enfie o carro no poste sozinho, que mire o foguete para sua própria família. Caramba (o que eu queria dizer é bem mais forte que isso)! O amigo quer me convencer que o cara do Porsche tava devagar só porque era madrugada e ele tava montado em 500cv? Ponte que partiu o baralho (tá difícil de segurar)! Não houve culpa? Vamos culpar Deus? O Diabo? O destino? Porra (agora não agüento mais e peço desculpas aos que se ofendem)!! Ainda que ambos sejam culpados neste acidente, a culpa existiu, óbvio, indiscutível, é explícito. Só que, como o cara do Porsche tem o hobby de andar acelerando por aí sem se lembrar que pode matar alguém dirigindo daquele jeito e naquele local, tudo bem, afinal, ele tem dinheiro e pode viver em liberdade. Nem os faróis amarelos intermitentes, dos quais sou favorável, parariam uma besta desta. Espero que a mãe de nenhum de vocês precise levar o velho pai ao hospital de madrugada, afinal, tem muita gente que adora um hobby caro e fiançável.
    Valeu muito pela troca de idéias.

  58. Ex-Piloto says:

    Curiosa essa discussão sobre o acidente da Tabapuã que achei através do Google.

    Primeiro leio que o autor do texto é um amante de carros que conhece todos os modelos, estilos, tipos e as sopas de letrinhas que os identificam.

    Mas antes de escrever sobre um assunto, o mínimo que esperavamos é que pesquisasse e não repitisse apenas o que outros “jornalistas” divulgaram conforme sua conveniencia para vender notícias sensacionalistas.

    Infelizmente parte da imprensa depende desse tipo de notícia para sobreviver, principalmente quando envolve valores altos, mostrando inveja e que nesse país ter dinheiro é crime…

    Se tivesse verificado antes, na fatídica esquina existe uma banca de jornais que a torna cega, e para avançar o sinal ela teve que praticamente ir até o meio da outra rua antes de ser atingida.

    O exame de sangue mostrou que ele não tinha bebido antes de sair da lanchonete New Dog, e sim que estava rápido, mas não a 150km/h, pois tinha parado no semáforo anterior e o carro estava em segunda marcha.

    Não vou julgar e nem defender “ele” motorista ou “ela” motorista, porque os dois erraram cada um da sua forma, mas está muito claro que não estaria aqui se não fosse um carro diferenciado (entenda-se caro!).

    Quem realmente conhece e dirige superesportivos sabe que assim como aceleram muito, freiam muito, mas provavelmente ele nem freiou, pois viu o sinal verde do cruzamento e só acordou sendo entubado pelo Samu como foi registrado.

    É uma pena que entre os comentários, nota-se que grande parte das pessoas não tem noção do que é um carro de alta performance, e dão mais enfase a potencia e ao valor (!) do que o acidente em si.

    Na minha opinião foi uma fatalidade, e que aconteceu como na maioria dos acidentes em decorrencia da somatória de erros, mas que infelizmente tirou mais uma vida nesse transito caótico de São Paulo.

  59. Eduardo Fonseca says:

    Lauro…aplausos novamente!!!

    assino em baixo…

  60. marcus paulo says:

    Esse é o retrato de um país onde a cultura do álcool prevalece. Lugar onde muitos valorizam o ato de se embriagar e aprontar qualquer tipo de besteira por ai. Muitos acham “lindo” tomar todas e dirigir por ai, arrumar briga e etc. Mas quando acontece algo desse tipo, todo mundo condena, acha um absurdo, não faltam julgadores. Quando o assunto sai de cena, voltam as velhas práticas. Infelizmente, este o filme que passa toda semana em vários lugares do nosso país.

    a verdadeira opinião!!!!!
    so uma perguntinha o porsche tinha seguro???qualquer batida a qualquer velocidade pode ser fatal deve se evita la (direçao defensiva)abraço!

  61. Henrique B. says:

    Realmente, oq o Marcus Paulo disse acima é vero… hipocrisia do Brasileiro.

    Que Deus nos abençoe no Trânsito.
    Abraço.

  62. Reinan says:

    No fantastico disseram que a condutora tinha acabado de sair de uma festa.
    Ao parar no sinal vermelho, ela deveria ter olhado o cruzamento e nao apenas atravessa-lo, o que me faz o sseguinte.

    Quando a pessoa está alcoolizada ela perde o senso de distacia, acho que ela tenha ingerido um pouco de alcool sim.

    Os bombeiros erraram ao retirar o acidentado de dentro do carro e nao o encaminharem urgentemente ao hospital, pois tenho um irmão bombeiro e o que mais ouvi é do acidentado levantar e conversar, um pouco variado, falando coisas sem nexo, como “bati meu carro” e nem perceber do acidente, e depois de algum tempo “MORRER COM HEMORRAGIA INTERNA”.

  63. Faustão says:

    Amigo “ex-Piloto”.. certeza que o condutor do porsche foi entubado na chegada do SAMU?? No video que algum desconhecido registro logo após o acidente ele esta falando ao celular.. e na saida ele da delegaacia não havia sinais de traqueostomia……

    De resto,austão. concordo com o ammigo e tb com o Lauro….

    Não somos donod da verdade para efetuarmos julgamentos alheios, mas a troca de idéias aqui foi bem interessante…..

    Abraços; F

  64. thiago says:

    sr. falamos e dizamos que o motorista do 911, estava a 150 más todos náo sabemos que a facilidade de estar a 150, em uma porscheé a mesma que passar no vermelho, ok! não sou defebdor de ninguem ,más diante do codigo penal a multa de velocidade e passar ao sinal vermelho, não tem como peinntencia a mesa quantidade de pontos?, e se o motorista do porsche tivessse morrio essa moça seria indiciada ou se lembrariam que ela, é sobrinha neta de um um ex- governador.Só acho que para crime doloso, esse senhor deveria ser o unico coausador do acidente, e efetivamente esse nbão é o caso, se fosse quaçquer outro crime, seria encarada como legitma defesa, não é? Agora se devemos penitenciar a esse senhor simplesmente pelo fatro de que ele tem uma porsche, favor indiciar todos os outros casos, ou abririamos espaço para juresprudencia? só sei que nesse caso, caberia uma suspenção de habilitação e outas açoes, que já se tornaram praxe se não fosse o fato de que a midia manda no pais, e que ela é a grande influenciadora do pais e automaticamente a juiza!

  65. Fernando says:

    Não li os comentários, mas li seu texto… O que eu digo é o seguinte: Me diga pra que comprar um carro com tantos cavalos se não pode dar umas esticadas de vez em quando? Pelo menos ele fez isso em um horário de pouca circulação.

    Eu já furei sinal vermelho na madrugada, mas sempre parando o carro e olhando bem. Se ela tivesse feito isso, com certeza não teria ocorrido acidente algum.

    Só concordaria com você se ele estivesse bêbado (não sei se estava), porque daí sim ele teria uma boa culpa nesse caso.

    E outra… vão me dizer que nunca passaram de 100km/h na madrugada? Quem ia imaginar que viria um carro do nada e furar o sinal? Obs: creio que uns 80km/h já é o suficiente para alguém morrer em uma batida dessas.

    Reflitam um pouco,
    abraço!

  66. Régis says:

    Respondendo parte do post anterior, o rapaz tinha sinais de embriagues e foi coletada uma amostrada para exame conforme saiu nas reportagens da tv.

    Agora o que eu estive pensando é o seguinte, se tiver alguém que entenda de direito por favor me corrija, nesse caso, a autuação foi por homicídio doloso, onde há intenção de matar! Como escreveu o Lauro. Mas a autuação correta acredito eu, seria homicídio culposo ( onde NÃO há intenção de matar) porém, com dolo eventual, onde o acusado assume o risco de matar. Acredito que o fato de estar em alta velocidade não caracteriza a intenção de matar, mas caracteriza que ele assumiu o risco. Acho que dessa forma seria muito mais fácil a condenação. Acredito também que o rapaz venha a ser condenado, mas duvido completamente que algum dia ele vá cumprir pena em regime fechado! Bom essa é minha opinião, talvez até esteja falando grandes besteiras.

  67. Ex-Piloto says:

    Olá Faustão,

    Reveja o video e note que no começo fala que o bombeiro, que também é testemunha, foi atender o motorista que estava mais perto e salvou a vida dele devido a dificuldade que estava em respirar.

    Por sinal é a mesma pessoa que estava parado no semaforo anterior ao do acidente ao lado do esportivo.

    Mas como já mencionei, infelizmente o que estava em evidencia não era o acidente em si, era tão somente quanto custa o carro.

    No Fantástico, chegaram ao cúmulo de dizer que “o Marcelo ia com sua Porsche pela rua”, ora, não era o Marcelo e sim o carro !

    Deu pena de quem escreveu aquilo que foi para o ar…

    Depois me perguntam porque nunca dou entrevista. Os caras editam do jeito que eles querem, veja o caso atual da Sandy. Só querem vender notícia !

    Abraço !

  68. Em tempo:
    Hoje foi divulgado laudo pericial sobre o acidente em que se constata que a velocidade do Porsche era de 116km/h aproximadamente. Os peritos do Instituto de Criminalística se basearam em imagens de um circuito de segurança de um edifício próximo, onde o carro estava em aceleração.

    Portanto, não era uma velocidade de 150km/h como dito na época e publicado por mim. Também não era uma velocidade pouco acima dos 60km/h como disse o condutor em seu depoimento.

    Depois deste acidente, ocorreram mais uma série deles envolvendo carros de alta performance, esportivos, que aceleram e desaceleram de maneira muito diferente dos carros de rua normais que estamos habituados a dirigir. Além dos carros diferenciados, motoristas que se acham diferenciados, se acham capazes, se acham poderosos, se acham sãos, se acham acima do bem e do mal. De tanto de acharem, encontraram sua vítimas e vão seguir impunes, ao menos, é o que eu acho. Lamentável

  69. Ex-Piloto says:

    A verdade agora começa a aparecer (a frase não é minha).

    A velocidade que antes do local acidente era de 116km/h, havendo outro que mostra 92km/h… A nova prova do nível alcoolico muito acima do permitido da motorista da Tucson… E as “coisas” começam a mudar de rumo.

    Existem sem dúvida pessoas que se acham guiando em SP, mas com qualquer tipo de carro! Me preocupo muito mais com os motoristas de carros antigos e mal cuidados circulando, do que com os de superesportivos, porque esses tem algo a perder.

    Após as últimas novidades do caso muito provavelmente o Fantástico não vai mais tocar no assunto. Não importa quanto de dano tenha gerado aos envolvidos…

    Sociedade hipócrita

  70. Beatriz Amorim says:

    Sempre achei que tinha muita coisa estranha nessa história, e sempre considerei o possível nível alcoólico da moça, mas não queria escrever besteira. Não acredito que ele estivesse nem a 150km/h, nem a 116km/h, critiquem-me o quanto quiserem. Prender? Mas por que? E aqueles que fizeram a Carolina ultrapassar o sinal vermelho e o Marcelo acelerar o carro, não são presos por que? São menores de idade? Mudem a lei então. Não irei me estender nos meus comentários, mas tenho opiniões fortes sobre isso.

  71. Fernando Tiozzo says:

    Quem matou não foi o motorista do Porsche? Então ele errou caso contrario o culpado seria a motorista.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>