Mais 7 e 77 em 2017


Parece que chegou a hora do povo nórdico curtir a temporada da Fórmula 1 como nós, brasileiros, o fizemos há 30 anos atrás.

Queria começar escrevendo sobre a pré-temporada dizendo que vou tentar não fazer um autoplágio do que escrevi nos dois anos anteriores. Caso você, nosso leitor mais atendo identifique algum trecho muito parecido, ou até mesmo idêntico ao de postagens anteriores, é porque os testes limitaram um pouco a minha criatividade.

Aos que gostam de fazer apostas como eu, a situação é bem confortável. Não que isso seja uma barbada, até porque um pneu furado ou um toque na largada sempre mudam uma perspectiva. No entanto, não apostar em uma Mercedes forte e em uma Ferrari promissora é apostar em muita zebra. Assim como aconteceu nos últimos anos, a Ferrari foi muito rápida, fez até o melhor tempo de todos, e essa marca foi de Kimi Raikkonen. Não que Sebastian Vettel tenha sido muito inferior, mas para os livros de história, o que vai constar é o tempo do finlandês.

E a Finlândia, aquele país “envodcado”, poderá talvez ter um ano memorável como nós brasileiros tivemos nos anos 1980 com Senna e Piquet. Além de Raikkonen, tudo indica que Valtteri Bottas vai poder, enfim, celebrar sua primeira vitória na categoria. Se os anos de Williams não conseguiram concretizar resultados mais contundentes para bebê Johnson da Fórmula 1, a aposentadoria de Nico Rosberg pode trazer um novo, e talvez mais forte, adversário para Lewis Hamilton. Porém, eu continuo achando o inglês favorito, de novo.

FW4018banner

Um Lance chamou muita atenção na pré-temporada. Sim, com L maiúsculo mesmo. Lance Stroll destruiu um chassi da equipe inglesa e acabou tirando o time do último dia de testes da primeira semana. Sua entrada na equipe foi muito bem paga, mas é bom o menino ver se tem mesmo jeito para a coisa porque, pelo que disse Alonso, os meninos vão ser colocados de lado agora com os novos carros.

Felipe Massa foi muito bem, chegou a ser o mais rápido em um dos dias de testes já na segunda semana de treinamento, provando que a aposta da equipe nele está fazendo sentido. Parece que o carro está muito bem equilibrado e pode levar o brasileiro a mais alguns goles de champanhe em 2017. Só que a equipe vai ter que torcer para o amadurecimento rápido de Stroll, sob o risco de ficar muito abaixo do que o carro oferece na tabela de classificação das equipes.

Vamos falar um pouco da Red Bull agora. Seria muito bom ver Ricciardo e Verstappen brigando lá na frente, mas parece que o time não está na ponta dos cascos como se podia esperar. A participação na pré-temporada foi discreta, mas Verstappen insiste em dizer que está pronto para ser campeão. Depois de duas temporadas completas, o menino prodígio de pilotagem arrojada quer levantar o título, mas tem que superar o ótimo companheiro Ricciardo e um carro que ainda não demonstrou totalmente a que veio. Dá-lhe charada.

1489426105225

A Toro Rosso, o carro mais bonito em minha opinião, vai ter que encontrar mais de onde tirar do motor Renault se quiser fazer bonito tanto quanto no design e no lay-out do carro. Sainz e Kvyat não incomodaram nos testes. É bonito de ver na pista, mas para aparecer mais na transmissão, por enquanto, só se for no engate das mais fortes.
A Haas, esta sim, parece que evoluiu em relação ao ano passado. Depois de começar o ano de 2016 com dois resultados seguidos muito bons, a equipe foi decaindo, decaindo, mas parece que vai começar bem de novo, e deve ter uma boa disputa com a Force India pelo pelotão intermediário. A equipe, aliás, se contasse com pilotos faquires, seria mais apropriado. O carro está pesado e a equipe pediu para os pilotos perderem peso, dá para acreditar? Patrocínio dos Vigilates do Peso seria até apropriado. E, por falar em patrocínio, o carro virá cor-de-rosa este ano em função do novo patrocínio da equipe. Aguardo o modelito do macacão de Pérez e Ocon.

Das equipes restantes, não dá pra perder tempo falando da Sauber, desculpe. Com todo respeito a equipe e aos pilotos, os testes mostraram que a equipe não deve sair da última posição do grid, mesmo contando com o bom Pascal Wehrlein. Já o Marcus Ericson deve continuar mais discreto que lingerie bege. A Renault é outra candidata a andar na rabeira, o que seria uma pena para Nico Hülkenberg, piloto que eu pensei, um dia, iria vencer logo sua primeira corrida.

Mas, e a McLaren, meu povo? Bom, para mim, a equipe já decepcionou no lançamento do carro. Não que eu não tenha gostado da volta da cor laranja, pelo contrário. É que prometeram um lay-out revolucionário, com isso e aquilo, mas o que se viu foi uma pintura até conservadora. Só que o desempenho é muito preocupante.

1488230304_833907_1488230824_noticia_normal

O carro tem um problema sério de potência e, pelo que li, um outro problema tão grave quanto, que é o de vibração. Os pilotos, em especial Alonso, não consegue tirar tudo do carro porque o mesmo insiste em se manter instável. Em suma, tem cavalos dormindo ainda e os que estão acordados precisam de equitação. O piloto espanhol já andou falando mal da Honda. Parece a mesma notícia dos últimos dois anos, só que Alonso já perdeu estes. Será que vai perder mais um?

A esperança é, mais uma vez, de que o campeonato seja competitivo, e a força da Ferrari será fundamental para isso. Precisamos também acompanhar quando será a primeira vitória de Bottas e como ela virá, se vier. Seu ex-companheiro e ex-aposentado, Felipe Massa, pode voltar ao pódio e, quem sabe, voltar até a vencer. E quase que o Brasil fica sem representante na categoria máxima do automobilismo, o que não vai mais acontecer, pelo menos este ano.

force-india-vjm10-pink-livery_3909332

E será a primeira temporada pós Bernie Ecclestone. Eu não me lembro de como é uma temporada sem ele. E também ninguém falou mais do Halo. Por probabilidade, veremos mais Sirinistilippu, que é o nome da bandeira finlandesa, ao longo da temporada.

Bem, nosso próximo encontro será para contar como foi o GP da Austrália, e todos estão convidados a fazer seus comentários e apostas como nos últimos anos.

Até lá!

Lauro Vizentim

Lauro Vizentim é Engenheiro Mecânico, fez MBA em Administração e trabalha há quase duas décadas na indústria de automóveis. Gosta de criação, design e de carros. Quando estes três gostos se juntam em uma corrida, tudo se completa. Acompanha a Fórmula 1 há mais de trinta e cinco anos e escreve para o No Trânsito desde 2009.

2 Responses

  1. Glauco de F. Pereira says:

    Sinceramente, eu nunca vi a expressão “estar no lugar errado e na hora errada”, sendo tão bem aplicada como a carreira de Alonso. Quase sempre que ele saí de uma equipe, seja por carros mal construídos, ou pelo gênio “perfeito” que ele possui, ou por absoluta falta de resultado/perspectivas, logo depois referida equipe descobre uma solução mágica, e, voilá, o carro volta a ser vencedor. Convenhamos, Alonso não é o que pode chamar de funcionário que veste a “camisa”. Muito antes pelo contrário!

    Ou, em algumas oportunidades, muda para uma equipe outrora vencedora, e, no projeto de um novo carro, muda, e muito, para pior. Ou o Alonso tem o chamado “dedo podre” para escolhas ou a “tia” benzedora” dele tá na hora de encerrar carreira.

    Acho que este ano, confirmando-se o desempenho sofrível da McLaren, teremos um Alonso cada vez mais sarcástico, o que, pelo lado do espetáculo, é garantia de ótimas entrevistas e cenas, ao estilo de sua pose “ao sol” do último GP do Brasil. A conferir.

    Quanto a Bottas ser uma “ameaça” a Hamilton, não vejo dessa forma. Considere ser este o seu primeiro ano na escuderia, carro novo, ao contrário de Hamilton, já com tanto tempo na escuderia que permite abrir e fechar geladeira com o pé no motorhome da Mercedes, ter lugar garantido à cabeceira da mesa de refeições, usar banheiro de porta aberta e ainda mais, sempre viajar na “janelinha”! Ou seja, Bottas precisa chegar no “sapatinho” (trocadilho mais infame este, mas, é o que temos pra hoje…) para poder pensar em algo mais concreto. Vitória, talvez, desde que Hamilton não esteja na prova. Caso contrário, me surpreenderia.

    Já o tio “Massa”. Antes, Stroll o via como um possível “mentor” em seus primeiros passos na F1 (claro, desde que Stroll consiga andar em linha reta também ajudaria…). Mas, depois dos primeiros testes, num é que Massa tem um carro a sua imagem/semelhança no modo de pilotagem, como em sua última grande temporada? Até parece um presente de “boas vindas” da Willians! Vejo isto como grande chances de boas disputas na F1 “real”…

    Quanto a Sauber, que sorte teve Nasr em não continuar, sendo bem sincero. Pra ter um carro em que até o pace car “pisca” farol pedindo passagem ou marca quase o seu tempo, é melhor sair do que “saído” por absoluta falta de resultados ou condições dignas.

    A princípio, não vejo em RedBull, pelo menos até chegar a fase européia, com “cartuchos” para enfrentar Ferrari, Mercedes e até Willians. Veremos agora se o garoto Verstappen tem “mão” pra desenvolver um carro talvez não tão bem nascido, ao contrário de Riccardo, que vejo em uma posição de não ter que provar nada a ninguém. Talvez seja ele um dos pilotos mais preparados para assumir sem o “front man” de uma equipe de ponta.

    Já as demais equipe, nada de novo no horizonte. Haas com carro bem nascido, Force Índia quase fechando patrocínio com a Herbalife (e com direito a a adesivagem no carros “PERCA PESO PERGUNTE-ME COMO”), Renault com dinheiro e sem motor, Toro Rosso a mesma coisa…

    Já Ferrari, sei não… Prevejo, se tudo correr bem e o que vimos no início do ano não se resumir a flying laps com gotas de combustível no tanque, a aumentar o estoque de vodkas e outras bebidas de maior teor alcooólicos para comemorar vitórias de Raikkonen, o que seria muito bom para o show, pois nada como um piloto “prolixo” na linguagem como ele para ouvir boas estórias, principalmente durante a corrida, quando porventura for incomodado.

    Enfim, agora sim 2017 começa! Só falta agora esperar o Sr. Lauro e seu “Bolão”.

    A sorte esta lançada! (para alguns, né Alonso…)

  2. Franklin Wiese says:

    Eu só consigo prever uma disputa mais difícil no nosso bolão esse ano. Com Ferrari entrando pra brigar por vitórias, espero que a aposta para vencedor não fique sempre com Mercedes e tenhamos uma boa variação de palpites, hehehe.

    Abraço a todos!!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *