Conheça o estande da Mercedes-Benz no Salão do Automóvel 2018 – Parte I


Nesta primeira parte você conhecerá os modelos G 63, AMG GT 63 S, e o hiperesportivo AMG ONE.

MERCEDES-AMG G 63 EDITION 1

Lançado em 1979, o fora de estrada de alta performance da marca sobreviveu por décadas quase que intocável, com suas linhas retas e formas clássicas. No entanto, sua atual geração apresentada no 30º Salão do Automóvel mostrou que as coisas mudaram.

A marca expôs o Classe G 380 SEL, ano 1981, em homenagem ao lançamento da nova geração.

A marca expôs o Classe G 380 SEL, ano 1981, em homenagem ao lançamento da nova geração.

Apresentado ao público brasileiro em setembro deste ano, o modelo se distingue pelo novo design exterior, mais sóbrio e moderno, e no interior, que recebeu todo o novo padrão da marca, a exemplo das telas widescreen cockpit.

O jipão é equipado com o V8 biturbo AMG de 4.0 litros de 585 cv a 6.000 rpm e 86,67 m.kgf de torque, tração integral com distribuição 40:60, favorecendo a traseira (antes era 50:50), com três bloqueios de diferencial, suspensão adaptativa e transmissão de nove velocidades. O 0-100 km/h é feito em 4,5 segundos e velocidade máxima é de 220 km/h (limitada eletronicamente).

Conta ainda com sistema de gerenciamento de cilindros, desativando no modo Comfort os cilindros dois, três, cinco e oito, diminuindo drasticamente o consumo de combustível, desde que utilizado na faixa entre 1.000 e 3.250 rpm.

Por fora, o modelo conta com a grade Panamericana, exclusiva dos modelos AMG e que é inspirado no modelos dos anos 50 da marca, rodas de até 22 polegadas, medida oferecida pela primeira vez no modelo, além de para-lamas mais largos e faróis com 84 módulos de LED adaptativos individualmente.

O interior conta com o novo volante AMG Perfomance com controles, mas a novidade ficou por conta do novo Widescreen Cockpit (cockpit panorâmico) totalmente digital, com instrumentos virtuais, que fica diretamente no campo de visão do condutor e tem um mostrador central sobre o console. As duas telas de 12,3 polegadas se fundem visualmente em uma única unidade, sob uma cobertura de vidro. O motorista pode escolher entre três diferentes formatos de exibição – “Classic”, “Sporty” e “Progressive” – e acessar as informações desejadas individualmente.

O novo conceito dimensional do interior beneficia todos os ocupantes. Segundo a marca, o aumento do comprimento (+ 101 milímetros), largura (+ 121 milímetros) e altura (+ 40 milímetros) cria uma base para uma impressão de maior espaço e arejamento do que a do modelo anterior.

Dimensões internas:

Descrição Diferença
Espaço p/pernas diant. +38 mm
Espaço p/pernas tras. +150 mm
Espaço ombros diant. +38 mm
Espaço ombros tras. +27 mm
Espaço p/cotovelos, diant. +68 mm
Espaço p/cotovelos, traseira mm +56 mm

 

A versão “Edition 1”, é a topo de gama do modelo e são oferecidos na cores Preto Obsidiana e Cinza Selenita Metálico. Com um discreto contraste, as faixas esportivas laterais são em cinza grafite fosco. As carenagens dos espelhos externos têm uma faixa decorativa vermelha. O pacote AMG Night, com detalhes em preto de alto brilho, reforça o estilo do fora de estrada. As rodas de 22 polegadas em preto fosco e com raios cruzados tem as bordas dos aros pintadas de vermelho.

Os destaques em vermelho continuam no interior: eles podem ser encontrados em vários itens internos, como nas costuras contrastantes no suporte do painel, console central, painéis das portas e bancos traseiros. Os bancos esportivos dianteiros em couro napa preto e vermelho também mostram essa cor impactante. Os bancos esportivos trazem uma dinâmica padronagem diamante, com costuras vermelhas contrastantes de série. O acabamento em fibra de carbono tem destaques em vermelho pimenta. O volante Performance em microfibra DINAMICA com a parte inferior plana, é decorado com costura contrastante vermelha e uma marca vermelha de 12 horas.

Para adquirir a nova geração do AMG G 63, o interessado precisará desembolsar R$ 1.049.900,00 ou R$ 1.179.900,00 na versão “Edition 1”.

MERCEDES-AMG GT 63 S

Logo de cara, já lhe dou uma boa notícia sobre o novo Mercedes-AMG GT 63 S: ele completou o circuito de Nurburgring em 7:25:41, batendo o recorde como modelo de quatro lugares e em linha de produção mais rápido, título que antes era do BMW M5 (F90), que fez 7:38:92. Bela diferença, não?!

A versão conceitual AMG GT Concept foi apresentada no último Salão de Frankfurt e a versão final pode ser conferida pelo público no último Salão do Automóvel em São Paulo.

A versão conceitual AMG GT Concept foi apresentada no último Salão de Frankfurt e a versão final pode ser conferida pelo público no último Salão do Automóvel em São Paulo.

Não há duvidas que o modelo foi criado para bater de frente com o Porsche Panamera. O sedã com jeitão de cupê é oferecido, pelo menos até o momento, nas versão 43, 53, 63 e 63 S.

Na versão de entrada, o modelo conta com motor 3.0 seis cilindros em linha turbo, que aliado a um motor elétrico de 48 volts chamado de “EQ Boost”, adiciona 22 cv a potencia do carro, totalizando 367 cv e 50,9 m.kgf de torque. Já na versão topo de linha, apresentado ao público brasileiro e que aparece nas fotos abaixo, é equipado com o 4.0 V8 biturbo que rende 639 cv e 91,8 m.kgf de torque, indo de 0-100 km/h em apenas 3,2 segundos e alcançando a máxima de 315 km/h.

Todas as versões são equipadas com a caixa automática AMG SpeedShift 9G, de nove marchas, e tração integral 4 MATIC+. Apenas as versões V8 usam a versão MCT da SpeedShift, equipada com embreagem convencional e nas versões seis cilindros em linha, utilizam o conversor de torque – como em um automático convencional.

Assim como citamos acima no G 63 Edition 1, o AMG GT 63 S conta também com o sistema de gerenciamento de cilindros, grade Panamericana (exclusiva das versões AMG) e rodas de 22 polegadas.

Por dentro, o destaque como toda linha Mercedes-Benz são as duas telas de alta resolução de 12,3 polegadas (de série nas versões V8 e opcional na seis cilindros) com três tipos de configuração “Classic”, Sport” e “Supersport”, aberturas de ventilação iluminadas, console central estilizado, volante multifuncional com todos os comandos multimídia em mãos, além de controles para iluminação ambiente, climatização e aquecimento dos assentos.

MERCEDES-AMG ONE

Tido como a maior atração dessa 30ª edição do evento, o McLaren Senna logo perdeu o status e passou a dividi-lo com o Mercedes-AMG One.

A marca surpreendeu a toda a imprensa e público exibindo pela primeira vez na América Latina o conceito de seu hipercarro, que é equipado com um motor 1.6 litros V6 biturbo e três motores elétricos, gerando juntos mais de 1.000 cv de potência.

O modelo, que foi recentemente apresentado no Salão de Frankfurt, possui uma matéria exclusiva aqui no site. Para rever, basta clicar aqui

Limitado a 275 unidades, todas já vendidas, a marca confirmou que 3 unidades foram vendidas aqui para o Brasil. Estimasse que o valor pedido por unidade supere os R$ 8 milhões.

Fernando Marques

Fernando Marques iniciou em 2007 na fotografia automotiva, fazendo parte desde 2009 da equipe No Trânsito. Apaixonado por carros desde pequeno, aprendeu a ler e escrever folheando as páginas da Revista Quatro Rodas e hoje divide as matérias automotivas com a advocacia, sua profissão.

1 Response

  1. Glauco de F. says:

    Nunca achei que fosse pensar ou dizer isto, mas, dos três destaques da Mercedes, a G conseguiu ser a mais bonita… Que traseira é essa da GT 63 S????? Faltou “amor” nessa traseira aí, hein???? Tal ok?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *