Os carros elétricos ganham força no mercado nacional


Eles são compactos, outros médios e até uns com jeitão de minivan. Mas, afinal, o que eles tem em comum? Eles são elétricos!

Os modelos elétricos e híbridos, escassos no país até então, eram compostos pelos modelos BMW i3 e i8, Lexus CT200h, Toyota Prius e até mesmo o Ford Fusion por exemplo.

Em breve a realidade será outra, pois receberão uma forte concorrência. As montadoras Chevrolet, Nissan, Volkswagen e Renault já confirmaram no ano que vem que irão oferecer veículos elétricos. A única que ainda está pendente de confirmação é a Mercedes-Benz, com o Smart, pelos motivos que explicaremos melhor a seguir.

Os valores divulgados pelas marcas poderão diminuir ainda mais, por conta do programa de incentivos fiscais do governo, batizado de Rota 2030.

Após 5 anos, o programa Inovar Auto teve seu fim decretado em 31 de dezembro do ano passado e previa a cobrança de até mais 30% de imposto sobre a importação de veículos cuja marca não possuía fábrica no país, além de limitar o número de veículos que poderiam ser importados por cada marca.

No começo deste mês, após diversos adiamentos, o governo enfim aprovou o novo programa Rota 2030, que estabelece uma nova política industrial para o setor automotivo e terá duração de 15 anos. Os modelos híbridos e elétricos também foram beneficiados pela medida. Dos antigos 25% de IPI pagos no Inovar Auto, o Chverolet Bolt, por exemplo, agora poderá ser importado pagando apenas 8% de IPI.

Fiquem agora com os novos elétricos que ganharão as ruas brasileiras:

CHEVROLET BOLT

O elétrico Bolt debutou na última edição do Salão do Automóvel, mas só agora a marca confirmou suas vendas por aqui no ano que vem, a partir de R$ 175 mil reais. Para rever a matéria, basta clicar aqui

Importado dos Estados Unidos, o modelo é equipado com um motor que gera 203 cv de potência e 36,7 m.kgf de torque. Seu 0-100 km/h é feito em menos de 6,5 segundos e sua autonomia é de 380 km, a maior dentre todos os modelos apresentados nessa matéria.

O modelo será o primeiro da marca a contar com conexão 4G de internet a bordo.

VOLKSWAGEN GOLF GTE

O Golf GTE, versão elétrica do esportivo GTI, há pelo menos quatro anos é visto pelas ruas brasileiras e em eventos da montadora. Toda essa espera se dá pelos testes de adaptação para nossa gasolina, que possui alto índice de etanol. A suspensão também carece de ajustes precisos para as nossas ruas. A VW confirmou que sua vendas iniciarão em 2019.

Totalizando 252 cv, o GTE é equipado com o já conhecido 1.4 TSI de 150 cv e um motor elétrico de 102 cv, que leva 3h45 para recarregar totalmente a bateria. Toda a tecnologia, segundo a marca, permite que o GTE ande até 50 km apenas no modo elétrico e, quando utilizado o modo híbrido, faça até 62,5 km/l.

O híbrido conta com todo o visual esportivo do GTI, por dentro e por fora. Rodas de 17 polegadas, agressivos para-choques, faróis e grade com filetes azuis, aerofólio e dupla saída de escapamento estão entre os itens de destaque. Por dentro, bancos esportivos que abraçam muito bem piloto e co-piloto, central multimídia de 9,2 polegadas e painel digital.

Também foram apresentados ao público o e-Golf, modelo totalmente elétrico que pode rodar até 300 km com apenas uma carga na bateria. Outro destaquw foi o Passat GTE, que assim como o Golf, utiliza um motor 1.4 TSI e um motor elétrico, resultando em 219 cv.

NISSAN LEAF

A segunda geração do Nissan Leaf também foi apresentada pela primeira vez na América Latina, mas sua antiga geração é velha conhecida aqui no site, graças a duas oportunidades que o Guilherme Nascimento teve de testar o carro em eventos da Nissan.

O veículo, que é 100% elétrico, está disponível em um programa de pré-venda no Brasil, Chile e Colômbia e em janeiro de 2019 no mercado Argentino. O elétrico já conta com 365 mil unidades vendidas desde seu lançamento, que ocorreu em 2010.

O Nissan LEAF tem um alcance de até 389 km no ciclo urbano de acordo com o WLTP (270 km no ciclo combinado) e 240 km de acordo com o ciclo EPA, permitindo ao condutor viajar mais tempo. Com a nova tecnologia e-Powertrain, o novo Nissan LEAF oferece 110 kW (149 cv) de potência e 32,6 m.kgf (320 Nm) de torque.

Conta ainda com o sistema e-Pedal, que transforma a maneira como as pessoas dirigem. O sistema permite que o motorista comece, acelere, desacelere e pare com apenas aumentar ou diminuir a pressão exercida no acelerador. Quando nenhuma pressão é exercida no acelerador, os freios regenerativos ou de fricção são ativados automaticamente, permitindo que o veículo seja totalmente parado e mantido imóvel mesmo em declives, até que o pedal do acelerador seja pressionado novamente.

Para levar o Nissan para casa, o comprador terá de desembolsar R$ 178.400,00.

RENAULT ZOE

O “elétrico mais vendido da Europa”, segundo afirmou o presidente da Renault na América Latina, Fernando Pedrucci, possui zero emissão, 300 km de autonomia e já está disponível no site Elétricos Renault por R$ 149 mil.

Modelo importado da França, o Zoe é equipado com uma bateria chamada de Z.E.40, que leva apenas 1h40 minutos para atingir 80% de sua carga total quando carregada com uma corrente trifásica de 220V. Já seu segundo motor, elétrico, é chamado de R90 e entrega torque de até 22 mkgf.

Com visual de compacto urbano, painel digital, sistema de som BOSE e central multimídia que lembra muito o modelo oferecido pelo Kwid, Sandero, Duster e outros da linha de produtos, podemos afirmar que o Zoe servirá de teste para uma possível versão elétrica ou hibrida do Kwid.

Por no mínimo R$ 20 mil a menos que a concorrência, você poderá levar para casa um dos elétricos mais baratos do Brasil!

SMART EQ FORFOUR

O modelo, que há alguns anos já não é vendido no mercado nacional, foi apresentado na coletiva de imprensa da marca mas sua vinda ainda é incerta. Conforme afirmou a marca, tudo dependerá do novo programa de isenção de impostos chamado Rota 2030.

A partir de 2019, toda a linha Smart será totalmente elétrica, assim como em 2020 todos os demais produtos da Mercedes-Benz também serão.

Com apenas 3,5 metros, o modelo possui um motor de 82 cv (60 kW) e 16,3 m.kgf de torque, com autonomia de no máximo 155 km. A aceleração de 0-100 km/h é feita em 12,7 segundos. Para o carregamento de 80% da carga total da bateria, são necessários apenas 40 minutos.

Fernando Marques

Fernando Marques iniciou em 2007 na fotografia automotiva, fazendo parte desde 2009 da equipe No Trânsito. Apaixonado por carros desde pequeno, aprendeu a ler e escrever folheando as páginas da Revista Quatro Rodas e hoje divide as matérias automotivas com a advocacia, sua profissão.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *