Author: Lauro Vizentim

0

Bottas, com os dois pés

Valtteri Bottas vence a segunda na carreira, desta vez de ponta a ponta, mas é Vettel que sai da Áustria com mais fôlego na disputa pelo mundial. Ricciardo foi ao pódio mais uma vez, com direito ao tradicional shoey.

3

O Baku é lôco.

A corrida pareceu mais um filme de ação, premiou a sobrevivência de Ricciardo, a recuperação de Bottas e o primeiro pódio de Stroll na Fórmula 1. Hamilton e Vettel foram personagens de uma briga de trânsito que pode influenciar o...

0

Hamilton volta à cena

O tricampeão mundial se recupera do mal resultado de Mônaco vencendo no Canadá e pondo mais disputa no Mundial. A dobradinha da Mercedes ajudou Hamilton, mas Vettel, apesar de fora do pódio, segue forte no mundial.

2

Sempre há um jeito

Ferrari domina Mônaco, coloca Vettel mais ainda na liderança do mundial e se consolida em primeiro na briga pelos construtores. Só que Raikkonen não gostou.

0

Polarizando

Na pista, Hamilton e Vettel tiveram a primeira disputa roda com roda, literalmente. E deu Hamilton, mas Vettel ainda é o líder do mundial.

10

O pulo do gato, de Bottas.

Na corrida em que prevaleceu o espírito olímpico onde o importante é competir, Valtteri Bottas finalmente escreve o nome na galeria dos vencedores da Fórmula 1, acompanhado no pódio pelos pilotos da Ferrari. Mas foi muito monótono.

2

Vettel, o italiano

O alemão voltou a vencer na corrida que marcou a primeira pole position de Valtteri Bottas. Quadragésima quarta vitória na carreira, apenas a quinta no time de Maranello, mas Vettel já parece ter aprendido a cantar o hino italiano.

1

Golaços

Cada ultrapassagem agora é como um gol. Não tivemos muitas, mas tivemos verdadeiras. E foi cada lance bonito que, desta vez, valeram o ingresso.

1

Prazer, Gina

A temporada começa com um GP praticamente sem ultrapassagens, mas com a vitória de Sebastian Vettel sobre a Mercedes. Há, depois de algum tempo, um indício de que a temporada pode acabar em pizza, macarrão, vinho e cannoli.

2

Mais 7 e 77 em 2017

Parece que chegou a hora do povo nórdico curtir a temporada da Fórmula 1 como nós, brasileiros, o fizemos há 30 anos atrás.